Mesmo sem greve, estações do metrô de SP abrem mais tarde e causam aglomeração

greve dos metroviários de São Paulo, programada para esta terça-feira (28) foi suspensa durante a madrugada. Mesmo assim, o Metrô não iniciou as operações no horário regular e as estações registraram aglomeração de pessoas. Neste momento, a situação já está normalizada.

Na estação Barra Funda, que faz parte da Linha 3-Vermelha e amanheceu fechada, diversos passageiros se aglomeraram nos portões de entrada.

O rodízio permanece suspenso na capital paulista, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), mas o de caminhões segue vigente. A Zona Azul também está liberada em toda a cidade. Os corredores e faixas exclusivas de ônibus estão ativos, favorecendo o deslocamento do transporte público.

Em assembleia extraordinária realizada no início da madrugada, o Sindicato dos Metroviários aceitou uma nova proposta do governo de São Paulo. Cerca de 79,76% dos 1.754 metroviários participantes optaram por suspender a greve, que estava programada para iniciar à meia-noite.

No entanto, os funcionários podem não ter sido avisados a tempo e não compareceram às estações. Desse modo, algumas linhas administradas pelo Metrô, que iniciariam as operações às 4h40, só começaram a operar após as 6h.

Por volta das 7h40, todas as linhas passaram a operar normalmente, com todas as estações abertas: 1-Azul (Jabaquara a Tucuruvi) , 2-Verde (Vila Prudente a Vila Madalena), 3-Vermelha (Itaquera a Barra Funda) e 15-Prata (Vila Prudente a São Mateus).

A Linha 4-Amarela e 5-Lilás, que são operadas pelas concessionárias ViaQuatro e ViaMobilidade, também operam normalmente e não registraram paralisações.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*